Wiliam Kozlowski abriu o placar em um gol de cabeça, no início do segundo tempo, e ainda marcou mais dois gols na partida. Foto: Italo Santos
Na noite em que o goleiro Luiz Muller comemorou os 100 jogos com a camisa rubro-negra e foi homenageado, a torcida Xavante foi quem ganhou o presente. Vitória por 4 a 0 no clássico Bra-Far e classificação às semifinais da Copa Sul Fronteira assegurada. Destaque para Wiliam Kozlowski que marcou três gols na noite. O Brasil, líder isolado do returno da competição, se prepara agora para enfrentar o São Paulo, na próxima terça (15), às 15h30, no Estádio Aldo Dapuzzo.
Com um primeiro tempo todo do Brasil, os torcedores presentes no Bento Freitas puderam presenciar o ímpeto Xavante em buscar a vitória no clássico Bra-Far. O grande destaque dos quarenta e cinco minutos iniciais ficou com Gustavo Papa. O camisa 9 rubro-negro levou perigo ao gol do Farroupilha em três oportunidades. Wiliam Kozlowski também protagonizou um lance que sacudiu a Maior e Mais Fiel nas arquibancadas.
A segunda etapa foi extremamente movimentada. Quatro bolas na rede e três expulsões. A parte bonita dos quarenta e cinco minutos finais ficou por conta dos três gols de Wiliam Kozlowski e pelo primeiro gol de Joelson com a camisa Xavante. Os lances lamentáveis ficaram por conta da confusão provocada por Roger Bastos, que agrediu o capitão Leandro Leite. Ambos acabaram expulsos. A outra expulsão foi do goleiro tricolor Diego.
O JOGO
O Brasil foi ofensivo desde os primeiros minutos do clássico Bra-Far. Logo aos cinco minutos, após boa troca de passes, Tiago Rannow cruza para a área, onde estava Wiliam Kozlowski. O camisa 10 Xavante, agarrado pelos defensores tricolores, não conseguiu o domínio. Um minuto depois, nova troca de passes do rubro-negro e Alex Amado, da entrada da área, bateu para fácil defesa de Diego.
Aos 14, em jogada de velocidade, Alex Amado tocou para Wiliam Kozlowski, que bateu da entrada da área. A bola desviou em Cristiano e se perdeu pela linha de fundo. Aos 19, Tiago Rannow recebeu passe de Ricardo Schneider e cruzou para a área, onde estava Gustavo Papa, que subiu mais alto que todos e cabeceou sobre o gol do Farroupilha.
Aos 22, Tiago Rannow cobrou lateral na cabeça de Gustavo Papa, que desviou para Wiliam Kozlowski. O camisa 10 Xavante dominou na área, girou sobre a zaga e bateu firme para o gol. O goleiro Diego fez uma importante defesa e mandou a bola para escanteio. Na cobrança, Edu Silva cruzou na segunda trave e Gustavo Papa novamente subiu mais alto que todos e cabeceou para fora.
Aos 26, nova cobrança perigosa de lateral de Tiago Rannow. Desta vez, Gustavo Papa dominou, girou sobre a zaga e bateu ao lado esquerdo do gol de Diego. Aos 43, Edu Silva cruzou da esquerda e Gustavo Papa, de primeira, dentro da área, bateu firme para o gol. A bola passou a direita da meta tricolor.
Imagem01
Joelson entrou no segundo tempo, e marcou o primeiro gol com a camisa Xavante. Foto: Carlos Insaurriaga
Se o primeiro tempo não teve gol, a segunda etapa começou com a bola beijando as redes. No primeiro minuto, Tiago Rannow cruzou para Alex Amado, na segunda trave, que desviou de cabeça para o meio da área. A zaga do Farroupilha conseguiu afastar. Mas no lance posterior, Tiago Rannow cruzou novamente na segunda trave e desta vez foi Wiliam Kozlowski quem colocou a cabeça na bola. O camisa 10 do Brasil subiu alto e empurrou a bola para o fundo da meta de Diego. Brasil 1 a 0.
E no quinto minuto da segunda etapa, o Brasil quase ampliou o marcador. Em contra-ataque rápido, Gustavo Papa rolou para Alex Amado que fez um lindo lançamento para Cleiton. O camisa 7 Xavante invadiu a área, sozinho, mas bateu sobre o gol do goleiro Diego. Era uma boa oportunidade do Brasil fazer o segundo gol. Aos 6, Kozlowski foi a linha de fundo, cruzou para a área. Gustavo Papa escorou e Alex Amado, no miolo da área bateu em direção ao gol, mas a bola explodiu na zaga tricolor.
Aos 16, Alex Amado fez boa jogada e rolou para Gustavo Papa. O centroavante rubro-negro escorou para o chute de Kozlowski. A bola passou sobre o gol de Diego. Aos 18, o segundo gol Xavante começou a ser desenhado. Luiz Muller cobrou tiro de meta, Wiliam Kozlowski desviou de cabeça e Márcio Hahn partiu em velocidade, quando chegava frente a frente com o goleiro Diego, a zaga tricolor conseguiu afastar para escanteio. Na cobrança, Wender colocou no meio da área, onde Wiliam Kozlowski escorou para o fundo das malhas de Diego. O segundo gol do camisa 10 na noite. Brasil 2 a 0.
Aos 33, um lance a ser esquecido do clássico Bra-Far. Após uma falta cometida pelo capitão Leandro Leite, o camisa 10 do Farroupilha, Roger Bastos, agrediu o volante Xavante. Após o empurra-empurra, o árbitro Tiago Clasen expulsou os dois atletas. Bastos pela agressão e o capitão rubro-negro injustamente. Aos 37, nova expulsão no clássico. Após o lançamento para Gustavo Papa, o goleiro Diego saiu da área e acertou um carrinho violento no centroavante rubro-negro. Tiago Clasen assinalou a falta e mandou o goleiro tricolor para o chuveiro mais cedo.
Aos 42, o primeiro gol de Joelson com a camisa Xavante. E um lindo gol. Éder Machado tocou para o baixinho veloz, que entrou a dribles na área tricolor e bateu no canto do goleiro Isaias. Brasil 3 a 0. Aos 47, o goleiro Luiz Muller, na partida que fazia a 100ª partida com a camisa rubro-negra, fez uma linda defesa em chute de Jone.
Imagem01
Luz Muller comemorou os 100 jogos com a camisa rubro-negra, e usou um fardamento especial no Bra-Far. Foto: Italo Santos
E teve tempo de mais um gol Xavante. E novamente ele: Wiliam Kozlowski. Em jogada de velocidade, Joelson tocou para Éder Machado. O camisa 18 do Brasil tocou para Kozlowski, que dominou e, de fora da área, chutou forte, no canto esquerdo do goleiro Isaías. Terceiro gol do camisa 10 Xavante. Brasil 4 a 0.
E assim, com três gols Kozlowski e o primeiro de Joelson com a camisa rubro-negra, o Brasil venceu o clássico Bra-Far e, além de manter a liderança do returno da Copa Sul Fronteira, garantiu a classificação para a próxima fase.
HOMENAGEM
Na noite em que comemorou o 100° jogo pelo Brasil – completado no clássico Bra-Pel -, o goleiro Luiz Muller vestiu uma camisa diferente. Com um número 100 às costas, Muller estava fardado com uma camisa branca com listras verdes na vertical. No intervalo, o ídolo da Maior e Mais Fiel recebeu outra camisa alusiva à marca. Ao invés das listras verdes, ela contava com listras vermelhas. Entretanto, a marca 100 estava também nas costas.

Assessoria de Imprensa Brasil de Pelotas
Axact

Canguçu Sports

Canguçu Sports é um blog portal voltado para as notícias esportivas da cidade de Canguçu e Zona Sul do estado do Rio Grande do Sul, criado em 2008 com intuito de facilitar a inclusão esportiva e na mídia digital é parte integrante da empresa BR PRESS. E-mail : editorresponsavel@gmail.com

Deixe um comentário:

0 comments: